• Rafael Lutterback

Em meio a salto de preços na conta de luz, energia solar conquista consumidores


Ao final do mês de Junho, foi anunciado o aumento de 52% referente a taxa extra embutida na conta de luz, a chamada bandeira 2. Por causa desse aumento os brasileiros deverão pagar, em média, 12% a mais, com base nos cálculos do economista André Braz, que também é coordenador dos Índices de Preços do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas.

Os aumentos, que provavelmente continuarão sendo frequentes com a crise hídrica, contribuem com a aceleração e adoção da energia solar pelas residências, baseada principalmente na energia distribuída.

Tal energia nada mais é do que a instalação de placas solares em telhados de casas, indústrias e até mesmo em estabelecimentos de pequenos e médios portes. A ABSOLAR estima que a geração de distribuição para 2021 salte de 4,4 gigawatts para 8,3 gigawatts. Os investimentos nessa área, devem chegar a R$17,2 bilhões, tanto por parte de consumidores, quanto de fabricantes.

Clique aqui para entender como funciona a energia solar fotovoltaica


Cerca de 21,5% de toda matriz energética do Brasil será de responsabilidade da geração distribuída no ano de 2050, segundo projeções feitas pela Bloomberg New Energy Finance.

Apenas em 2020, o volume de crédito para a geração distribuída teve um crescimento de 28% em relação ao ano anterior, alcançando R$ 4,1 bilhões, segundo a consultoria Cela Clean Energy Latin America. O que explica o fato de que com o aumento nas contas de luz, houve um aumento na adoção de energia solar nas residências.



Mas qual o PRINCIPAL MOTIVO das pessoas estarem buscando tanto por energia solar fotovoltaica?


Instalar o sistema de energia solar na sua residência pode gerar uma economia na conta de luz em até 95%. Esta grande diferença é um dos principais estímulos e vantagens do investimento.


Esta economia é obtida por meio de crédito. O excedente gerado é colocado na rede elétrica e volta para a distribuidora. Então, ela utiliza essa carga como crédito e faz o abatimento na conta em até 60 meses.


A economia varia de acordo com 3 fatores:

Custo da energia elétrica da distribuidora (R$ /kWh);

Custo do sistema fotovoltaico (R$);

Quanto de energia elétrica solar o sistema vai produzir (kWh/ano).


Exemplo:

R$ 0,65/kWh

R$ 20.000,00 (Custo apx de um sistema de 2.5kW de potência)

3.650kWh/ano (Geração média de um sistema de 2.5kW no RJ)


Conta de retorno sobre o investimento de uma forma simplificada:

3.650 x 0,65 = 2.372 => Este sistema vai te economizar R$ 2.372,00 por ano

20.000 / 2.372 = 8.43 => O seu sistema vai se pagar, neste caso, em aproximadamente 8 anos.


CONSIDERAÇÕES

Se você considerar que a sua propriedade vai valorizar, pois possui o seu próprio gerador de energia elétrica solar, a vida útil das placas é maior que 25 anos e a sua conta de luz vai dobrar nos próximos anos. Então o sistema fotovoltaico se paga em menos de 5 anos!!





Fonte: CNNBRASIL




4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo